“Caboquinho” é executado com três tiros na Cidade do Povo

A vítima é o terceiro morto em menos de uma semana no programa habitacional do governo

Em menos de uma semana três pessoas foram mortas no programa habitacional de casas populares do governo, Cidade do Povo localizada no km 5 da BR 364. A Polícia acredita que os assassinatos vêm ocorrendo por motivação de acerto de contas.

O primeiro homicídio aconteceu no último sábado (20), o ex-policial militar, excluído do quadro efetivo da polícia militar, Aluízo de Souza  Silva, de 55 anos, que teve sua barbearia invadida por assaltantes. De acordo com o assistente da vítima, dois homens chegaram em uma bicicleta, invadiram o estabelecimento e executaram a vítima com um tiro.

ex policial 1 homicio dia 20

Já o segundo homicídio ocorreu nesta segunda-feira (22). O corpo de Navertur Rege da Silva Ramalho, de 18 anos, foi encontrado caído em um quintal atrás de um posto de saúde, em cima de uma bicicleta com uma blusa sobre a cabeça. Na vítima havia sinais de agressão e ainda uma corda foi encontrada amarrada ao pescoço do jovem.

Jovem Navertur. Homicidio dia 22

O terceiro caso aconteceu na tarde desta quinta-feira (25), na quadra 10 D, na rua Emanuel próximo ao posto de saúde. Edvaldo Silva da Conceição, 21 anos, mais conhecido por “caboquinho” foi executado com três tiros em frente a sua casa.

caboco 2

Segundo informações de familiares, Edvaldo teria brigado com a cunhada na tarde do dia 24, a expulsando-a de casa. Pela manhã desta quinta-feira, ela ligou para sua irmã avisando que tinha mandado matar a vítima. Pela tarde, dois homens não identificados em uma motocicleta pararam ao lado da residência de “caboquinho” e um deles com capacete encobrindo o rosto e de posse de uma arma de fogo invadiu a casa e já foi atirando contra a vítima sendo que dois disparos o acertou, um na perna e outro na nádega, mesmo ferido Edvaldo ainda conseguiu correr até os fundos da residência e pular uma cerca, mas lá caiu sobre o solo e o acusado acertou o terceiro tiro no rosto, em seguida os autores do crime se evadiram do local.

Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, mas ao chegar ao local nada pode fazer pela vítima que já se encontrava sem vida.

Policiais Militares estiveram no local, isolaram a área para o trabalho dos peritos em criminalística, em seguida colheram informações e saíram em busca de prender os acusados.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal – IML para os devidos procedimentos.

O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Deixe seu comentário: