Deputado Daniel Zen diz que governo do Acre adotou todas as providências para apurar morte de cabo da PM

Na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), nesta quarta-feira (17), o líder do governo, deputado Daniel Zen (PT), explicou que todas as providências foram adotadas para apurar a morte do cabo da Polícia Militar Alexandro Aparecido dos Santos. Ele acrescentou que foi declarado luto oficial pelo governo do Estado em virtude da fatalidade. O parlamentar lembrou, ainda, o compromisso assumido pela Polícia Militar em defender a sociedade acreana.

“Queria manifestar o pesar pelo falecimento do policial na última segunda-feira. Ao contrário do que disse o deputado Gehlen Diniz, não existe nenhum ressentimento de ódio com a Polícia Militar. Inclusive, esta casa foi responsável pela aprovação de projetos de leis de valorização da corporação. Estamos aguardando a entrada de mais matérias vindas do Executivo para valorização da nossa corporação”, cita.

Ainda sobre as providências adotadas quanto à morte do PM, Daniel Zen falou que o governo do Estado fretou uma aeronave para que o corpo do militar pudesse ser transladado para Vilhena-RO, sua terra natal.

“O governador fretou um avião para que o corpo do militar fosse para a sua terra natal, Vilhena-RO. Esse era o desejo da família. O colega fala inverdade, fala como se o Estado não desse valor a um servidor público. O nosso governo foi o governo que mais realizou concursos públicos para as três corporações. Foi o governo que mais investiu”, salienta.

Quanto à abordagem policial, ele foi categórico: “em tese não houve erro, e sim foi uma fatalidade. Não abusaram de força. Ninguém sacou arma. Então, tudo foi feito dentro das normas e dos padrões militares”, argumenta.

 Daniel Zen lamentou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em estabelecer as audiências de custódia. “Se tem um erro do STF foi estabelecer essas audiências de custódia. Hoje se estabeleceu um verdadeiro conflito entre as forças de Segurança e aqueles que resolveram trilhar os caminhos do crime. Isso é muito sério”, frisou.

Agência Aleac

Deixe seu comentário: