Policia Civil realiza reprodução simulada de crime ocorrido em casa noturna

Peritos criminais, com base nos vestígios, reproduziram a cena do crime que resultou na morte do estudante (Foto: Divulgação DPTC)

A Polícia Civil, por meio do Departamento de Polícia Técnico-Cientifica (DPTC), realizou na noite de terça-feira, 26, o processo de reprodução simulada dos fatos referentes ao caso do estudante Rafael Frota, de 25 anos, morto após ser atingido por disparo de arma de fogo dentro de uma casa noturna em Rio Branco.

O procedimento pericial teve inicio às 07h37min da noite e durou quatro horas e 20 minutos. Para o processo de reprodução foram intimados, além do policial federal Victor Campelo e a namorada, Lavínia Melo, de 19 anos, os jovens apontados como responsáveis pela confusão que teria motivado os disparos.

SIMULAÇÃO 2

Na confecção do laudo pericial que é a peça fundamental no inquérito policial (IPL) que investiga o caso, a equipe de peritos criminais e médicos legistas fez uso de tecnologias, como termógrafo, Scanner Forense, Kit de trajetória Balística e Luz Forense, além de outros equipamentos.

O inquérito que investiga a morte de Rafael Frota é conduzido pelo delegado Rodrigo Noll. Além do presidente do IPL, estiveram presentes: os diretores do DPTC e do Instituto de Criminalística, Haley Vilas Bôas e Aleksandro Barros, respectivamente, membros do Ministério Público do Acre (MPAC) e agentes da Polícia Federal, que acompanham o trabalho da Polícia Civil.

Sandro de Brito – Assessoria PC

 

Deixe seu comentário: